Categorias | Itália, Turismo

Nápoles

por Alice Otero

Se a Itália é o país dos sentidos, é em Nápoles que eles se encontrarão em seu estado mais aguçado. Nápoles provoca os sentidos: o cheiro do mar Tirreno convida a um passeio de barco, a vista do gigante adormecido Vesúvio em contraste com o mar azul emociona, o sabor do vinho provoca uma doce embriaguez, a canzone napolitana enche sua alma de sonoridade e beleza.

Comece pelo centro histórico. Caminhe pela Via San Biagio dei Librai ou pela estreita Via dei Tribunali – mas cuide com as motos que aparecem de repente vindas de uma ou outra viela. Deleite-se com os souvenires escritos em napolitano, os cafés, os mercados e as igrejas e capelas que, de tão numerosas, chegam a ficar lado a lado. A mais famosa esconde-se na Via Francesco de Sanctis: é a Capella Sansevero, uma antiga capela hoje transformada em museu que abriga a impressionante escultura do Cristo velado.

Partindo do Corso Umberto I até a Via Toledo, passando pela Via Armando Diaz, você encontra um comércio variado, com produtos de boa qualidade a preços acessíveis, embora as grandes marcas não estejam tão presentes quanto em outras cidades italianas. Ao voltar-se para o lado na Via Toledo você verá os Quartieri Spagnoli, um bairro pobre, populoso e dito perigoso, mas cujas cores sem dúvida atrairão o seu olhar.

Uma das ruas que leva ao Quartieri Spagnoli vista da Via Toledo

Se o seu tipo de passeio é mais nobre, Nápoles abriga alguns castelos que valem a pena ser visitados. O Castel Nuovo, também conhecido como Maschio Angioino, é o principal símbolo arquitetônico da cidade. Ele se localiza próximo ao porto e é lar do Museu Cívico de Nápoles. O Castel dell’Ovo tem uma história curiosa: dizem que o poeta Virgilio escondeu na construção um ovo que mantinha o castelo em pé. Caso o ovo fosse quebrado, coisas terríveis aconteceriam com o castelo e com a própria cidade. Finalmente, o Castel Sant’Elmo fica na colina de Vomero e hospeda várias mostras de arte, feiras e manifestações. Não desanime com a subida até chegar ao castelo: você certamente será recompensado com vistas espetaculares de toda Nápoles, da ilha de Capri e do maravilhoso mar.

O Castel Dell’Ovo

Calçadão na Via Partenope com Castel Dell’Ovo ao fundo

Panorama da cidade com o Vesúvio ao fundo, vistos de cima do Castel Sant’Elmo

A capital da região da Campânia já foi palco de grandes feitos esportivos. Nos anos 80 e 90, o brasileiro Careca e o argentino Maradona comandaram o time do Napoli na conquista de dois campeonatos italianos e uma Copa da UEFA. Maradona até hoje é glorificado por lá – tanto que no centro histórico, do lado de fora de um café, é possível encontrar um altar dedicado ao craque. Visitar o estádio San Paolo é um programa imperdível para os fãs do futebol. E para os fãs da corrida, um belo cenário para se exercitar é a avenida que costeia o mar. São vários quilômetros de calçadão com restaurantes, hotéis e prédios de um lado e o porto e o imenso azul de outro.

Não será nada difícil encontrar um incentivo a mais para praticar sua corrida (caso você precise). A pizza napolitana é uma das mais tradicionais do mundo, e os cidadãos de Nápoles levam o assunto tão a sério que chegaram a criar normas que regulamentam o preparo do prato. Os dois sabores básicos são a margherita e a marinara, e há poucas variações além dessas. Você encontrará pizzas tanto em barraquinhas na rua quanto em restaurantes.

A pizza margherita que Julia Roberts provou e aprovou em “Comer, Rezar, Amar”

A partir de Nápoles é possível fazer vários passeios de um dia. Alugue um carro e aventure-se pela estrada estreita e cheia de curvas até chegar a Sorrento, Positano e Amalfi. Vá até o Molo Beverello e suba em uma embarcação: no máximo em 80 minutos você estará na charmosíssima ilha de Capri. Tome um trem da empresa Circumvesuviana e desça em Herculano ou Pompeia para ver o que restou depois de grandes erupções do vulcão Vesúvio.

A ilha vista do ônibus na sinuosa estrada que leva de Anacapri a Capri

Templo de Apolo, novamente com o Vesúvio ao fundo

Não se deixe intimidar pelas ruas bagunçadas e eternamente em obras, motoristas ousados (para dizer o mínimo), cidadãos gritões, prédios mal conservados e uma certa sensação de insegurança. Isso também é Nápoles. Afinal, estamos no sul da Itália, onde as coisas não são tão ordenadas e a máfia ainda tem vasta influência. Mas o charme inquestionável de Nápoles está também nesta imperfeição, e a cidade deixa sua marca em todo e qualquer visitante que por lá passar.

Comments are closed.