Damião Ancelmo de Souza vence Meia de Brasília 2016

Neste domingo, dia 10 de abril, Brasília sediou algumas das competições esportivas mais importantes do momento: a final da Superliga Masculina de Vôlei e a 17ª edição da Meia Maratona Internacional Caixa de Brasília. No vôlei, o Cruzeiro sagrou-se tetracampeão. Na Meia, os campões são muitos.

Foto: divulgação

Com mais de 40 atletas competindo a elite, a maioria daqueles que subiu ao pódio são nomes já bastante conhecidos do público brasiliense, com exceção dos estrangeiros. Na elite feminina, as quenianas confirmaram sua hegemonia. Alicent Rutto e Sylvia Kibiego ganharam, respectivamente, os 1º e 2º lugares. Os demais degraus do pódio ficaram com Cruz Nonata da Silva, Marizete Moreira dos Santos e Marily dos Santos. Aos 41 anos de idade, Nonata fez, como era de se esperar, uma dobradinha com o irmão Domingos Nonato, que ficou em 4º lugar na elite masculina. A também veterana Marizete, que ficou em 4ª posição, carrega os títulos de tetracampeã da Meia Maratona de Brasília e bicampeã da Maratona Internacional de São Paulo. A quinta colocação ficou por conta de Marily dos Santos, que, em 2015, foi campeã em 4 das 6 etapas do Circuito Qualidade Caixa – Nordeste.

Na elite masculina 80% do pódio foi nacional: Damião Ancelmo de Souza – 1º lugar; Bernard Kipsang Chumba – 2º lugar; Pablo Fagundes da Costa – 3º lugar; Domingos Nonato da Silva – 4º lugar; Sivaldo Santos Viana – 5º lugar. Damião, que já é campeão da Meia Maratona de Brasília, depois de 5 anos de ausência, retomou o posto de favorito da prova e ficou com o lugar mais alto do pódio, deixando para trás o queniano Bernard Chumba. Damião estava tão tranquilo, que disse nem ter sentido se abater pelo calor e pela secura típica de Brasília. Ele completou os 21km em 1h06min20.

Na categoria adaptada, a cadeirante Adrielly de Jesus Rangel ganhou evidência. Ela já havia participado da Meia de Brasília em 2013, quando ficou em segundo lugar. Dessa vez, o desafio de Adrielly foi superar a si mesma, já que era a única a disputar a sua categoria. Mas o que não falta é fôlego para ela, uma atleta de variados talentos. Adrielly é jogadora de basquete em cadeira de rodas e suas principais modalidades no atletismo são as corridas de 100, 200 e 400 metros. Então, os 21km da Meia não são a especialidade dela, mas foram cumpridos em 1h47min01 de muito esforço e determinação.

Na categoria adaptada cadeirante masculina, Antônio Oliveira Rodrigues ganhou disparado dos outros dois colocados, ao fechar a prova em 39min28. Jaciel Antônio Paulino e Diego Lima Costa fizeram, respectivamente, os tempos de 49min58 e 1h07min48.

Mas campeões também são os mais de 3.500 atletas amadores que completaram os percursos de 5, 10 ou 21 quilômetros, vencendo seus próprios limites e desafios. Márcia Cardoso, que aos 45 anos de idade fez a primeira prova de sua vida, estava com a autoestima elevada. “Estou me achando”, disse sorridente, depois de fazer, em seus próprios cálculos, 5km em aproximadamente 45 minutos.

Todos os resultados poderão ser confirmados muito em breve pelo site oficial da prova: meiamaratonacaixabrasilia.com.br.

Comments are closed.