42k de Floripa estreia no calendário já com recorde de inscritos

Indiscutivelmente, a capital catarinense é um dos destinos preferidos dos corredores de rua; prova disso é que 12 mil deles irão lotar as principais vias da cidade, no dia 3 de junho, domingo, na estreia dos 42k de Floripa – 1a Maratona Internacional da Cidade de Florianópolis no calendário nacional.

A largada será a partir das 6h30, na Beira-mar do Estreito.

O evento, que conta ainda com a Meia de Floripa (21k) e a Joy Run (7k), já estreia batendo recordes: são 12.000 atletas inscritos, número que fez com que as inscrições encerrassem antes do prazo final. “Corredores do Brasil inteiro e de países vizinhos adoram correr em Floripa nesta época, pois os termômetros da cidade costumam registrar de 13º a 21º C, temperatura ideal para evitar o desgaste físico extremo ao correr uma maratona. E a validação disto está no número recorde de inscritos para uma corrida em Florianópolis”, destaca Felipe Fernandes, diretor de produção da Norte Marketing Esportivo, organizadora da prova.

Outro destaque é a exclusividade de ter as pontes que ligam a Ilha ao continente como partes dos trajetos das três provas. “O visual de correr nas pontes é incrível e a sensação de estar correndo sobre o mar é indescritível”, destaca o engenheiro civil Leonardo Bastos e Silva, 41 anos, que vai encarar os 42k em sua primeira prova de 2018. “Minha expectativa é fazer uma prova tranquila, desfrutando cada quilômetro”, completa.

Com poucas inclinações ao longo dos 42.195 metros, o percurso foi traçado para os corredores que estão em busca de tempos baixos e novos recordes pessoais.

Movimentação econômica

De acordo com a organização, 80% dos corredores são de outros estados como São Paulo e Paraná, além de atletas de países como Uruguai, Argentina, Chile, Peru e Colômbia que garantiram a sua inscrição. Números estes que movimentam muito mais do que o mercado da corrida e refletem diretamente no setor de turismo. De acordo com a Associação dos Treinadores de Corrida de SC (ATC-SC), eventos esportivos impactam nos setores de hotelaria e gastronomia, principalmente na baixa temporada, quando a taxa de ocupação geralmente não atinge 13% e com os eventos esportivos beira os 50%. “Outro resultado positivo é sentido diretamente pelas assessorias esportivas, que veem seus alunos aumentarem ligeiramente após a realização de uma prova, já que causam motivação no público”, destaca Fabiano Braun, treinador da equipe Floripa Runner e vice-presidente da ATC.

Trânsito

A largada da prova será na Beira-mar Continental em três pelotões: 42k, às 06h30; 21k, às 06h45; e 7k, às 07h00. Para ambos os trajetos, as Ponte Colombo Salles (1.227m) e Ponte Pedro Ivo Campos 1.252m (sentido continente) terão uma pista bloqueada, assim como a Avenida Beira-Mar Norte. “Nosso principal cuidado, além de oferecer um evento extremamente organizado para os corredores, é gerar o menor impacto possível na mobilidade dos moradores, mesmo com o fechamento parcial de 42km de vias”, diz Fernandes.

As vias com interdição serão:

*Av. Beira Mar Continental, interdição das 03h00 às 13h00;

*Av. Beira Mar Norte, da Ponte Pedro Ivo Campos até o Trevo Dona Benta (UFSC), interdição parcial das 04h às 10h30;

*Av. Gov. Gustavo Richard (sentido aeroporto) interdição das 4h00 às 12h00;

* Via Expressa Sul, sentido aeroporto, do Túnel Antonieta de Barros até o trevo da Seta, interdição das 4h às 12h00.

A previsão é de que os primeiros colocados concluam a prova em 2h25, no masculino, e 2h50, no feminino. O limite total para a realização da 42k de Floripa é de seis horas.

A organização prepara uma série de ativações e conteúdos para o corredor estar o mais preparado possível para vencer o desafio escolhido. Os kits dos atletas serão retirados no CentroSul, na Av. Gov. Gustavo Richard, 850, no centro.

Desafios e estreias

Entre os 12 mil participantes existem muitas histórias, atletas estreando, atletas buscando tempos menores e até mesmo atletas treinando para desafios maiores. O que todos têm em comum é a iniciativa de encarar as pistas da capital catarinense, nesta que já é a maior corrida de rua realizada na cidade.

Um exemplo é o casal Ederson da Silveira Moises e Ligiani Reis da Silva Moises, que decidiu estrear na distância de 42k juntos, já com foco no Ironman de 2019. “Nosso principal objetivo é viver essa experiência da melhor forma possível como um caminho até o Ironman. Além disso, completamos 10 anos de casados no dia 31 de maio e estávamos com uma pequena viagem marcada, mas como seria no mesmo final de semana da prova resolvemos antecipar a viagem e comemorar esse aniversário correndo os 42k de Floripa”, destacam.

Já a jornalista Oricelma Dutka, de Joinville, escolheu a prova para estreia em pistas de outras cidades. “Correr em Floripa sempre esteve nos meus planos. Porque todo corredor tem que correr na Ilha. Apesar de já ter feitos duas meias maratonas, venho me preparando desde o início do ano com o objetivo de conquistar uma maior estabilidade e tempo”, ressalta.

Tem reestreia também nos 42k para a engenheira sanitarista e ambiental Katiane Dutra Coelho, que correu sua última maratona em 2014. “Estou com uma expectativa bem boa. Sempre gostei dos 21k de Floripa, foi minha primeira meia maratona, em 2012, e tenho um carinho por essa prova, já que é muito legal atravessar a ponte correndo”, afirma.

Comments are closed.